Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013
PRÊMIO EXCELÊNCIA E QUALIDADE BRASIL RECEBIDO NO DIA 17/06/2013 NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO
ENGENHEIRO AGRÔNOMO/PESQUISADOR


Abobrinha de 3 cm é colhida por lavrador Uma  pouco maior que uma unha foi colhida em uma propriedade rural, na comunidade das Neves, a aproximadamente 50 km de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha. As abobrinhas devem ter no máximo 20 cm de comprimento, mas essa colhida no Vale do Jequitinhonha impressiona pelo tamanho reduzido, apenas 3 cm e 10 gramas.
O locutor Roger Silva, 29 anos, conta que ganhou o legume do sogro e resolveu levar para a cidade de Araçuaí. “Achei muito interessante e pedi meu sogro para trazer a abobrinha comigo. Pesquisei na internet e não encontrei nenhuma com tamanho menor. Ela é pouco maior do que a minha unha”, afirma Roger.
A abobrinha foi colhida pelo lavrador Manoel dos Santos Bicalho, de 62 anos, na fazenda Grupiara. Ele garante que nunca viu nada igual. “Ficamos todos impressionados. Vi que ela já estava madura e que não cresceria mais por isso preferi retirá-la. As abobrinhas que a gente vê por aqui geralmente são bem maiores”, conta Manoel dos Santos.

O en…
SOLUÇÃO PARA GOSTO E CHEIRO DA ÁGUA, SERÁ BUSCADO JUNTO AO GOVERNO FEDERAL781 views
Há quase um mês os moradores das cidades que são servidas pelas águas do Rido Doce, têm reclamado do gosto e do cheiro fortes da água fornecida pelo Saae. O problema não se restringe a Conselheiro Pena e, para pensar em uma solução, representantes dos Saaes de cidades afetadas pelo problema, da Copasa e de indústrias que captam a água da bacia do rio Doce estiveram reunidos em Valadares para buscar uma solução. De acordo com o diretor-geral do Saae de Valadares, Omir Quintino Soares, apesar de não terem uma solução a curto prazo, os órgãos buscarão ajuda com o governo federal e, ao mesmo tempo, outros projetos estão em andamento para pelo menos diminuir o problema. ”Nós vamos buscar o auxílio de outros órgãos da esfera federal, como por exemplo a Agência Nacional das Águas [ANA], pois esse é um fato que vai além da responsabilidade do município. Ao mesmo tempo conversamos para decidir medidas mais imed…
Governador Valadares pode ter clima

de deserto no futuro, afirma professor Atividade humana é a grande vilã ao meio ambiente.
Conscientização é a única maneira para reverter o quadro. Diego SouzaDo G1 Vales de Minas Gerais Agrônomo Alexandre Sylvio discute 'as matas e a sua
importância para a sociedade contemporânea' em
seminário ecológico. (Foto: Diego Souza) Uma cidade cada vez mais quente. Esta é a previsão para o futuro de Governador Valadares, segundo o professor doutor Alexandre Sylvio da Costa, caso não aconteça uma mudança no comportamento da populção em relação ao meio ambiente. Esse foi um dos alertas feito pelo professor durante o 1º Seminário GV + Verde que aconteceu nesta quinta-feira (27), no auditório da FIEMG, Regional Rio Doce, em Valadares. O evento contou com a presença de professores, empresários e estudantes, que participaram de discussões sobre temas voltados para o meio ambiente e sustentabilidade. Alexandre Sylvio da Costa começou o seminário falando sobre “…
ENGENHEIRO AGRÔNOMO
ALEXANDRE SYLVIO VIEIRA DA COSTA

MELHORES DO ANO
PROFISSIONAL DO ANO

CIENTISTA/PESQUISADOR
UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE
Autor: Alexandre Sylvio Vieira da Costa ISBN: 978-85-89046-17-6 Ano: 2008 Nº. de páginas: 63 Tamanho: 15,5 x 22,5 cm Apresentação: Nesse livro, o professor Alexandre Sylvio Vieira da Costa aborda a dinâmica do fósforo nos solos e a sua atuação no desenvolvimento das culturas agrícolas. Considerado um recurso não renovável e relativamente caro, o fósforo reage de diversas formas em solos tropicais, tornando-se, na maioria das vezes, indisponível para as plantas. A compreensão do seu comportamento no solo e a definição do manejo dos fertilizantes fosfatados são peças fundamentais no processo de resposta das plantas e aumento de produtividade associado à racionalização do uso deste insumo e redução dos custos de produção. Sumário Prefácio Introdução O fósforo na planta O fósforo e os microrganismos do solo O fósforo no solo Absorção de fósforo pelas raízes Adubação fosfatada Produção de adubos A ação do fósforo no meio ambiente 

Alexandre Sylvio Edição 25 - 13/3/2013 Riqueza natural: a água nossa de cada dia Comemoramos o dia mundial da água com falta d’água em muitas regiões de Minas Gerais. O Norte de Minas já está sinalizando com racionamento no inicio do período seco, ou seja, a expectativa para meados do ano até outubro/novembro são as piores possíveis. As águas do período chuvoso que deveriam ser armazenadas para suprimento no período seco não vieram, desta forma, o planejamento de racionamento está sendo realizado desde já, mesmo com a existência ainda, de alguma água armazenada. Na região Leste e Nordeste de Minas a situação não difere muito, apesar de ter caído um pouco mais de água. No ano passado, em todos os meses, os índices de chuva ficaram abaixo da média histórica da região, fato que já se repete há alguns anos. Começamos 2013 com veranicos (períodos secos que surgem durante o período chuvoso) em fevereiro. Enquanto isto, massas de umidade continuam a castigar o Rio de Janeiro, mais precisament…
PLASTICULTURA NA PRODUÇÃO DE HORTALIÇAS


PODA DE ÁRVORES
A PODA DAS ÁRVORES EM CENTROS URBANOS DEVEM SEGUIR CRITÉRIOS  CONSIDERANDO A FISIOLOGIA E MORFOLOGIA DAS PLANTAS ALÉM DA AUTORIZAÇÃO DA PREFEITURA VISANDO EVITAR PROBLEMAS DE TOMBAMENTOS E QUEBRA DE GALHOS QUE COLOCA EM RISCO OS VEÍCULOS E OS PEDESTRES. A MATÉRIA COMPLETA PODE SER VISTA NO ENDEREÇO:
http://g1.globo.com/mg/vales-mg/mgintertv-1edicao/videos/t/edicoes/v/para-podar-e-cortar-arvores-e-necessario-autorizacao-da-prefeitura-em-valadares/2550719/


MUDANÇAS CLIMÁTICAS
A REGIÃO DO MÉDIO RIO DOCE APRESENTA ALTERAÇÃO DO SEU CLIMA, FATO REGISTRADO NAS MEDIÇÕES DAS ESTAÇÕES CLIMATOLÓGICAS DO INMET AO LONGO DAS ÚLTIMAS DÉCADAS. A REPORTAGEM COMPLETA DO JORNAL "HOJE EM DIA"PODE SER LIDA NO ENDEREÇO:

http://www.hojeemdia.com.br/minas/sem-cuidado-ambiental-valadares-podera-ter-clima-de-deserto-1.40538




CIÊNCIA E TECNOLOGIA
ALUNOS QUE PARTICIPAM DO PROJETO FIBRILOSE DO GRUPO DE PESQUISA "AVALIAÇÃO AGRÍCOLA E CIVIL DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS" DESENVOLVEM TECNOLOGIA PARA CRIAR LAJOTAS, FORROS E DIVISÓRIAS COM FIBRAS CURTAS DE CELULOSE. O VÍDEO PODE SER VISTO NO ENDEREÇO:
http://g1.globo.com/mg/vales-mg/mgintertv-1edicao/videos/t/edicoes/v/planeta-inquieto-estudantes-aproveitam-residuos-industrias-para-reciclar/2546468/


CIÊNCIA E TECNOLOGIA  TRABALHO DE PESQUISA INOVADOR DO GRUPO DE PESQUISA  "AVALIAÇÃO AGRÍCOLA E CIVIL DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS" COM ALUNOS BOLSISTAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA SENDO TRANSFORMADO EM PEÇA PUBLICITÁRIA DO VESTIBULAR DA UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE


"SEMINÁRIO SOBRE O NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO"

ABERTURA DO EVENTO "SEMINÁRIO SOBRE O NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO" REALIZADO NO AUDITÓRIO DO CREA MINAS.  ENGENHEIRO AGRÔNOMO DSc. ALEXANDRE SYLVIO, UM DOS ORGANIZADORES DO EVENTO, NO DISCURSO DE ABERTURA.